Pesquisar

26 de mar de 2012

Heródoto: o pai da História

Imprimir E-mail PDF Orkut Facebook Twitter Mais

 

Heródoto certamente é a personalidade mais importante da historiografia antiga (ainda não científica). Considerado por Cícero como "o pai da história", Heródoto foi o responsável por batizar o Egito como uma "Dádiva do Rio Nilo". É ele o primeiro historiador, ou histor em grego, da história.  Escreveu um livro chamado História. Tinha como meta não deixar os fatos históricos de sua época não caírem no esquecimento.

Leia abaixo uma síntese da biografia do primeiro historiador, que foi de fundamental importância para a profissão que seria oficializada apenas no século XIX.





Nascido em Halicarnasso, cidade grega da Ásia Menor, Heródoto era filho de uma influente família. Seu pai, Lixes, foi um líder do segmento democrático da sua polis. Seu tio era um renomado poeta épico, Paníasis.

Heródoto foi exilado quando jovem, em razão das disputas políticas que conduziram o grupo antidemocrático ao poder em Halicarnasso.

Iniciou uma longa série de viagens pelo mundo antigo, passando pelas costas do Mar Negro, por Cítia (sul da Rússia), Lídia (Turquia), Egito, Líbia, boa parte da própria Grécia e, talvez, Pérsia e Mesopotâmia. Ao longo de suas viagens, reuniu informações sobre os costumes, mitos e histórias dos diversos povos que conheceu.

Em Atenas, conheceu muitos intelectuais, desenvolvendo uma grande amizade com Sófocles, que fez menção das informações coletadas por Heródoto em suas peças, como "Antígona".

Ainda em Atenas, apresentou o resultado final de suas investigações, que se transformaria em sua célebre obra "Histórias" (publicada em nove livros, entre 430 e 424 a.C.), que tratava, ainda, das guerras entre os gregos e os persas, as Guerras Médicas. Foi por esta obra que o romano Cícero o chamou de o "Pai da História".

Participou da fundação de uma colônia ateniense na Magna Grécia (sul da Itália), chamada Túrio (443 a.C.), onde parece ter vivido o resto de seus dias, tendo retornado algumas vezes a Atenas. 

Nenhum comentário: