Pesquisar

28 de nov de 2011

Literatura Negra

Imprimir E-mail PDF Orkut Facebook Twitter Mais

A literatura produzida pelos afrodescendentes desde o período colonial está agora reunida numa antologia crítica, a ser lançada nesta segunda-feira (dia 28), às 18h, na Fundação Biblioteca Nacional. “Literatura e Afrodescendência no Brasil” é composta por quatro volumes, fruto de uma pesquisa realizada em todo o Brasil envolvendo 61 pesquisadores, 21 instituições brasileiras de ensino superior e outras seis estrangeiras. O lançamento marca ainda a assinatura de um acordo de cooperação entre a Fundação Biblioteca Nacional e a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), visando a adesão à campanha “Igualdade Racial é pra valer” e à implantação de pontos de leitura temáticos da Ancestralidade Africana no Brasil.
A antologia, organizada por Eduardo de Assis Duarte e Maria Nazareth Soares Fonseca, apresenta a faceta afro da literatura brasileira, num total de 100 escritores oriundos de tempos e espaços diversos. Além de ensaios críticos, a coletânea traz ainda dados biográficos, estudo de obra, relação de publicações e de fontes de consulta.
De Machado de Assis e Lima Barreto a Abdias Nascimento e Paulo Lins
O primeiro volume, intitulado “Precursores”, é dedicado aos autores afrodescendentes nascidos antes de 1930. A lista incluir, a partir do século XVIII, nomes como Domingos Caldas Barbosa, Luiz Gama e Maria Firmina dos Reis, até os consagrados Machado de Assis, José do Patrocínio, Lima Barreto e Cruz e Souza. O painel inclui também outros nomes do século passado como Abdias Nascimento, Mestre Didi, Carlos Assumpção, entre outros.
Já o segundo volume, chamado “Consolidação”, trata de escritores nascidos nas décadas de 1930 e 1940. Além do poeta e ficcionista Oswaldo Camargo, a obra abrange nomes como Joel Rufino dos Santos, Muniz Sodré e Nei Lopes. Aborda ainda o memorialismo angustiado de Francisca Souza da Silva, em sua perambulação pelas cozinhas, ruas e favelas brasileiras.
“Contemporaneidade”, terceiro volume, apresenta um ensaio de Maria Nazareth Soares Fonseca sobre Cuti – poeta, ficcionista e um dos fundadores da série Cadernos Negros. A obra inclui um conjunto de 39 escritores nascidos na segunda metade do século XX, entre eles estão Esmeralda Ribeiro, Salgado Maranhão, Éle Semog, Márcio Barbosa, Paulo Lins, José Carlos Limeira, entre outros.
O último volume que encerra a antologia reúne reflexões sobre o projeto de uma literatura negra ou afro-brasileira. “História, teoria, polêmica” traz depoimentos dos escritores Abdias Nascimento, Oswaldo de Camargo, Cuti, Conceição Evaristo, Márcio Barbosa e Esmeralda Ribeiro, empenhados na construção dessa vertente. Além disso, apresenta textos críticos de Octávio Ianni, Silviano Santiago, Zilá Bernd, Leda Maria Martins, Zahidé Muzart, Maria Nazareth Soares Fonseca, Eduardo de Assis Duarte, Regina Dalcastagnè e Marcos Antônio Alexandre.

Nenhum comentário: