Pesquisar

17 de abr de 2012

Nero: A biografia do Imperador

Imprimir E-mail PDF Orkut Facebook Twitter Mais


O império romano é o maior e mais famoso da história antiga. Na tradição historiográfica romana, se estudava, quase que exclusivamente, a história política do Império. E certamente, entre os vários imperadores de grande relevância de Roma, está Nero. O imperador sem dúvida conquistou a fama de polêmico e a raiva dos cristãos até hoje. Fato é que seu governo ficou marcado sobretudo pela queima que impôs em Roma para queimar os cristãos. Não era, ainda, a religião oficial do império.

Mas, fugindo um pouco da parte mais famosa do imperador, que tal conhecer um pouco mais sobre a vida dele? Leia mais neste texto sobre Nero, sua vida e sua administração como imperador


Nero foi um imperador romano do ano de 54 a 68 da era cristã. Até hoje é uma das figuras históricas mais polêmicas de todos os tempos. Seu nome completo era Nero Cláudio Augusto Germânico. Nasceu na cidade de Anzio (na atual Itália) no dia 15 de dezembro de 37.
Nero tornou-se imperador romano em 13 de outubro de 54, numa época de grande esplendor do Império Romano. Nos cinco primeiros anos de seu governo, Nero mostrou-se um bom administrador. Na política, usou a violência e as armas para combater e eliminar as revoltas que aconteciam em algumas províncias do império. 

No tocante às guerras de expansão, Nero demonstrou pouco interesse. De acordo com os historiadores da antiguidade, empreendeu apenas algumas incursões militares na região da atual Armênia.


Suas decisões políticas, militares e econômicas eram fortemente influenciadas por algumas figuras próximas. Entre elas, podemos citar sua mãe, Agripina, e seu tutor, Lucio Sêneca.
O que mais marcou a história de Nero foi o caso do incêndio que destruiu parte da cidade de Roma, no ano de 64. Porém, de acordo com alguns historiadores, não é certa a responsabilidade de Nero pelo incidente. O imperador estava em Anzio no momento do incidente e retornou à Roma ao saber do incêndio. Os que apontam Nero como culpado baseiam-se nos relatos de Tácito. Este afirma que havia rumores de que Nero ficou cantando e tocando lira enquanto a cidade queimava.
O fato é que Nero culpou e ordenou perseguição aos cristãos, acusados por ele de serem os responsáveis pelo incêndio. Muitos foram capturados e jogados no Coliseu para serem devorados pelas feras. 
Além deste episódio, outros colaboraram para a fama de imperador violento e desequilibrado. No ano de 55, Nero matou o filho do ex-imperador Cláudio. Em 59, ordenou o assassinato de sua mãe Agripina.
Nero se suicidou em Roma, no dia 6 de junho de 68, colocando fim a dinastia Julio-Claudiana.


Pesquisa: Só História

Nenhum comentário: